Brasileiros se apresentam bem, mas é dupla mexicana quem vence a WCS 2018

0
1316

No último domingo (5) rolou a tão esperada final mundial do WCS 2018 (World Cosplay Summit) no Japão. A dupla brasileira formada por Paulo Melo e Barbara Duzzi se apresentou como sempre maravilhosamente bem, mas foram os mexicanos que se sagraram os grandes campeões.

 

A final deste ano foi bem disputada e vários cosplayers apostaram alto no seu “play” sem deixar o “cos” de lado. E foi exatamente isto que fez com que os mexicanos Luis e Lalo se tornassem campeões. Confira a apresentação deles:

A dupla brasileira formada por Paulo e Barbara levou sua apresentação do jogo NieR: Automata e se saiu muito bem também, confira:

Polêmicas e opinião

Logo depois do anúncio da dupla vencedora, rolaram várias tretas nas redes sociais. Uma delas era por que muita gente acreditava que os brasileiros deveriam parar de apostar tanto em luzes de leds e armaduras e melhorar o seu “play”. O que acontece é que numa competição tão disputada como esta, vários fatores influenciam no resultado final. Tanto é que há brasileiros que já foram campeões usando os tais leds e armaduras espetaculares, e isto não os prejudicou na hora do seu “play”. Temos que parar de criticar e querer diminuir os outros e pensar que a dupla mexicana realmente união o “cos” e o “play” numa apresentação fantástica e isto fez com que eles vencessem no final.

 

Também houve polêmica quanto a dupla mexicana, pois algumas pessoas criticaram o cosplayer Lalo por ter pintado seu corpo para se parecer com um personagem negro, no caso o Dhalsim de Street Fighter. Alguns cosplayers acharam um absurdo isto acontecer, pois achavam que estavam fazendo o uso do “blackface”, uma prática teatral onde atores brancos se pintavam com carvão para fazer uma caricatura de pessoas negras (em especial escravos). Para nós do Mundo Cosplayer isto não ocorreu, afinal, o cosplayer não se pintou de carvão, nem fez chacota ou humilhou o personagem, pelo contrário, levou um cosplay que quase ninguém faz e venceu um campeonato mundial com ele.

 

 

O cosplay é uma arte e nesta arte você pode se tornar QUEM VOCÊ QUISER! Não importa se o seu personagem favorito é branco, negro, asiático, homem, mulher, etc… você tem o direito de se tornar ele. Já pensou se houvesse esta divisão e brancos fossem obrigados e fazer personagens brancos, negros só negros e por aí vai? Metade das pessoas que vão em eventos não poderiam mais ir, pois grande parte dos personagens que os cosplayers gostam de interpretar são de origem asiática… ou pior… quem faria o personagem Madinbu de Dragon Ball ou os personagens do filme Avatar? Pois eu nestes 30 anos no planeta Terra ainda não vi ninguém com o corpo todo rosa ou azul…

 

Gente! Vamos parar com o mimimi de que tudo é preconceito e vamos aplaudir pessoas que conseguem se tornar algo totalmente diferente do que são em nome da ARTE!