Conhece o “Homestuck”? Relembre os pioneiros do cosplay que causaram polêmica

0
943

 

A comunidade dos amantes de cosplay é extremamente unida: todos reconhecemos o esforço de planejar meticulosamente nosso traje, encontrar uma forma de fabricar ou encomendar cada peça, tirar todas as fotografias que desejamos e até os empecilhos para encontrar mais pessoas que também idolatram nossa obra e personagem preferidos. É por isso que as convenções e eventos de cosplay, muitas vezes associados aos eventos de cultura geek em geral ou festivais de anime, são ótimas oportunidades para fãs encontrarem novas amizades e exibirem com todo orgulho os frutos de seu trabalho na fantasia.

 

cosplays que causaram polêmica

 

Mas embora atualmente o cosplay seja mais mainstream e muitas opções de trajes estejam facilmente acessíveis na internet, com empresas como a ExpressVPN organizando personagens do Batman e seus trajes ou a AliExpress oferecendo promoções em acessórios de cosplay perto da data de eventos famosos, não podemos nos esquecer das comunidades que de alguma forma pavimentaram os eventos como conhecemos hoje – seja por sua fama ou infâmia.

 

Este é o caso dos cosplayers de Homestuck, famosos por dominarem os grupos de cosplay na internet e simplesmente estarem presentes em massa em qualquer evento do tipo, e que hoje parecem estar cada vez mais esquecidos na cultura popular. Vamos relembrar essa época nostálgica do universo do cosplay.

 

O que foi o Homestuck?

 

Para começarmos nossa história, precisamos relembrar o que foi o Homestuck: uma série de quadrinhos na internet criada por Andrew Hussie. Este formato de websérie digital fez bastante sucesso, mas Homestuck é reconhecida por ser uma das séries mais duradouras e longas de todas, com um grande universo de lore e personagens além de vários arcos de história.

 

Os quadrinhos ressoavam com o público de fandom do Tumblr, que adotou o estilo visual dos personagens como sua própria identidade e, eventualmente, criando seus próprios personagens seguindo o estilo do autor, em geral, com a pele acinzentada e adereços na cabeça. Sua grande popularidade ditou muitos dos eventos e estilos de cosplay que encontramos hoje, mas por outro lado, sua comunidade ficou conhecida como um dos primeiros exemplos de comportamento tóxico por parte de fãs de uma mídia específica, muitas vezes hostilizando novatos ou outros fãs de cosplay que não acompanhavam a série.

 

Fãs de Homestuck em eventos de cosplay

 

A comunidade de fãs do Homestuck foi uma das primeiras a investir seriamente em modos de transformar seus personagens favoritos do universo virtual em fantasias reais, e é inegável a quantidade exemplar de cosplays incríveis criados por esta comunidade. Em especial soluções criativas para conseguir atingir o tom de pele, chifres e gemas de vários personagens servem até hoje para diversos cosplays modernos.

 

No entanto, muitas controvérsias foram geradas pelo aparente “comportamento extremo, antissocial e perigoso” que os fãs de Homestuck possuíam em grandes eventos. Diversas regras de etiqueta em grandes festivais do mundo podem ser traçadas diretamente à tentativa de controlar os fãs mais estabanados de Homestuck. Alguns exemplos famosos incluem:

 

  • Cosplayers lambendo e comendo objetos aleatórios: sim, você leu corretamente. Para fazer referência interna a algumas partes dos quadrinhos, os fãs de Homestuck ficaram infames por tentar comer, lamber ou morder objetos em eventos de cosplay – mesmo aqueles totalmente não edíveis e manipulados por diversas pessoas.
  • Importunar o público usando a fantasia: outra atividade comum na comunidade de Homestuck era vestir sua fantasia mas, ao invés de participar de eventos de cosplay, agir como o personagem em festas aleatórias, shoppings, encontros com o Papai Noel no Natal, fotos escolares, entre outros.
  • Estragar eventos com tinta cinza: os personagens de Homestuck possuem a distinta coloração cinza na pele, e por isso, os cosplayers costumam buscar métodos para tingir o próprio corpo com a cor. Embora atualmente este problema já seja solucionado, com tinturas específicas ou uso de tecidos finos colorizados em todo o corpo, os cosplayers de Homestuck ainda viviam no começo dessa cultura e por isso improvisaram todo tipo de tinta. O resultado? Diversos eventos precisaram pagar multas caríssimas, pois hotéis, áreas de lazer, piscinas, mesas, toalhas, entre outros objetos, eram permanentemente manchados de cinza pelos fãs de Homestuck e suas tintas improvisadas. Alguns eventos baniram permanentemente qualquer cosplayer dessa comunidade para evitar a tinta.

 

E se você acha que banir um cosplayer pelo uso de tinta é um exagero, pense duas vezes. Um dos casos mais conhecidos na internet sobre esta comunidade é da adolescente que, durante a Anime Expo, ficou conhecida por intoxicação por canetinhas coloridas.

 

O caso viralizou na internet: uma frequentadora do evento e suas amigas alugaram um quarto de hotel durante a Anime Expo, porém, por desistências, precisaram receber mais pessoas que não conheciam. Uma garota hospedada no quarto, antes do evento, entrou no banheiro para se preparar e durante duas horas se recusava a sair, enquanto as outras meninas esperavam para poder retocar a maquiagem. O cheiro alcoólico dentro do banheiro também era preocupante. Ao finalmente abrirem a porta, se depararam com a fã de Homestuck imersa em uma banheira repleta de álcool 70% e milhares de canetinhas cinzas abertas dentro do banho. A pele da garota estava completamente acinzentada mas o contato prolongado com a imersão de álcool resultou em intoxicação e a fã precisou ser conduzida ao hospital imediatamente, além de pagar mais de 700 dólares por danos ao hotel.

 

Este caso deu origem a vários termos pejorativos que até hoje são usados nas comunidades de cosplay e anime, e marcou por anos os fãs de cosplay na internet, inclusive sendo responsável por diminuir a popularidade de cosplays de Homestuck em grandes eventos.

 

Atualmente nossa comunidade se desenvolveu muito, e este tipo de situação não costuma acontecer – recursos da comunidade, produtos dedicados às fantasias e melhor organização dos eventos garantem a segurança de todos. Mas sempre vale a pena relembrar a história e percalços daqueles que exploraram o cosplay antes de nós.